ou


NOTÍCIAS

Concussão cerebral: Conceito, causas, características clínicas, diagnóstico, tratamento e evolução


Resultado de imagem para concussão cerebral


O que é concussão cerebral?

A concussão cerebral, também conhecida como lesão cerebral traumática leve, é definida como um trauma (forte abalo) na cabeça, sem fratura óssea, que afeta temporariamente o funcionamento do cérebro, com repercussões físicas e emocionais.

Quais são as causas da concussão cerebral?

A concussão cerebral pode ocorrer a partir de um golpe direto na cabeça ou em outras partes do corpo que são transmitidas para a cabeça. Situações comuns em que isso pode ocorrer incluem colisões de veículos automotores, quedas, lesões esportivas, acidentes de bicicleta e outras. O consumo de álcool tanto é um importante fator de risco quanto contribui para agravar as consequências de uma concussão cerebral.

Qual é o mecanismo fisiológico da concussão cerebral?

Num forte golpe sobre a cabeça, o cérebro choca-se com violência contra as paredes ósseas internas da caixa craniana, e mesmo não causando lesões anatômicas ostensivas, o choque perturba o funcionamento do cérebro. Isso resulta em disfunção neuronal reversível, pois há aumento transitório das necessidades de glicose e suprimento insuficiente de sangue, embora algumas células possam morrer após a lesão.

Esses eventos consistem em comprometimento da neurotransmissão, perda de regulação dos íons, desregulação do uso de energia e do metabolismo celular e uma redução no fluxo sanguíneo cerebral, embora essa redução não seja tão severa quanto na isquemia. A gravidade desses danos aumenta com o número cumulativo de concussões sofridas e pode levar a uma variedade de problemas de saúde.

Quais são as características clínicas da concussão cerebral?

Os adultos jovens são afetados em maior proporção que as demais pessoas. Os sintomas podem incluir aspectos físicos e psíquicos. Os primeiros compreendem dores de cabeça, tontura, vômitos, náuseas, falta de coordenação motora e dificuldade de equilíbrio. Os sintomas visuais incluem sensibilidade à luz, visão de luzes brilhantes, visão turva e visão dupla. Zumbido nos ouvidos também é comumente relatado. Em cada uma de cerca de setenta concussões ocorrem convulsões.

Os sintomas emocionais são problemas de raciocínio, memória ou concentração, distúrbios do sono e alterações de humor. Alguns desses sintomas podem começar imediatamente (quase sempre), enquanto outros podem aparecer dias após a lesão e, em geral, podem durar até quatro semanas. Concussões repetidas podem levar à encefalopatia traumática crônica, doença de Parkinson ou depressão.

Os sintomas cognitivos incluem confusão mental, desorientação e dificuldade em focar a atenção. Pode ocorrer perda da consciência, não necessariamente relacionada à gravidade da concussão. A amnésia pós-traumática é uma marca registrada das concussões. A confusão mental pode estar presente imediatamente ou pode se desenvolver ao longo de vários minutos. Uma pessoa pode repetir as mesmas perguntas, tornar-se lenta, ter um olhar vago ou ter uma fala arrastada e incoerente. Outros sintomas cognitivos incluem ainda dificuldade de raciocínio, de concentração e de realização de atividades cotidianas.

Como o médico diagnostica a concussão cerebral?

De início, devem ser descartados os efeitos de traumatismos cranianos mais graves. Isso inclui um agravamento progressivo dos sintomas. A tomografia computadorizada ou a ressonância magnética do cérebro devem ser evitadas, a menos que haja sintomas neurológicos progressivos, achados neurológicos focais ou preocupação com fratura craniana. A maioria das concussões sem complicação não pode ser detectada com ressonância magnética ou tomografia computadorizada. A lesão leve na cabeça pode ou não produzir leituras anormais de eletroencefalograma.

O diagnóstico de concussão cerebral é baseado fundamentalmente nos achados do exame físico e neurológico, duração da inconsciência (geralmente menos de 30 minutos) e amnésia. Existem testes neuropsicológicos para medir a função cognitiva.

Como o médico trata a concussão cerebral?

O tratamento envolve repouso físico e cognitivo por um dia ou dois com retorno gradual às atividades. Analgésicos e anti-inflamatórios podem ser usados conforme a conveniência. A fisioterapia pode ser útil para problemas persistentes de equilíbrio, enquanto a terapia cognitivo-comportamental pode ser útil para mudanças de humor.

O repouso físico e cognitivo deve ser continuado até que todos os sintomas tenham se resolvido, com a maioria (80% - 90%) das concussões sendo resolvidas em sete a dez dias. O descanso cognitivo inclui redução de atividades que exigem concentração e atenção, como trabalho escolar, videogames e mensagens de texto. Tem sido sugerido que mesmo a leitura recreativa pode piorar os sintomas em crianças e adolescentes.

Como evolui a concussão cerebral?

A concussão cerebral tem uma taxa de mortalidade de quase zero. Os sintomas da maioria das concussões desaparecem dentro de algumas semanas, mas os problemas podem persistir por um tempo maior, sendo raramente permanentes. As pessoas com mais de 55 anos podem demorar mais tempo a se recuperar ou ter uma recuperação incompleta.

 
Autor : abc.med.br
Fonte : abc.med.br










 

 

 

Desenvolvimento :