ou


NOTÍCIAS

Mancha “Vinho do Porto” no rosto



As manchas Vinho do Porto (nevus flammeus) são manchas vermelhas ou roxas, mais comuns no rosto, e que podem variar de alguns milímetros até centímetros de diâmetro. Essas manchas são assim nomeadas por sua coloração semelhante à cor de um vinho tinto fortificado em Portugal, principalmente na cidade do Porto. Segundo alguns estudos, a mancha vinho do Porto foi encontrada em 0,36% a 1,2% dos recém-nascidos.

Quais são as causas da mancha “Vinho do Porto” no rosto?

A etiologia da lesão ainda é desconhecida, especula-se a existência de fragilidade das paredes dos capilares. Normalmente estão presentes já ao nascimento, raramente surgindo na primeira infância ou na fase adulta. As manchas vinho de Porto podem ser parte de uma síndrome, como a síndrome de Sturge-Weber ou a síndrome de Klippel-Trénaunay-Weber.

Qual é a fisiopatologia da mancha “Vinho do Porto” no rosto?

Microscopicamente, as manchas vinho do Porto são compostas de capilares dilatados maduros na derme, sem nenhuma evidência de proliferação celular. Portanto, elas são devidas à dilatação dos capilares sanguíneos (uma malformação capilar) que se encontram mais próximos à superfície da pele.

Quais são as principais características clínicas da mancha “Vinho do Porto” no rosto?

As manchas vinho do Porto ocorrem mais frequentemente no rosto, mas podem aparecer em qualquer lugar no corpo, particularmente no pescoço e no tronco superior, e normalmente persistem ao longo da vida. Geralmente é unilateral e quase sempre respeita a linha média. As manchas iniciais são na maioria dos casos planas, de aparência rósea na infância e vão escurecendo com a evolução da idade, até assumirem a cor de vinho do Porto, e se tornam, após a quarta década, espessadas e nodulares. A área de pele afetada cresce proporcionalmente ao crescimento geral.

Atriz norte-americana Paige Lauren Billiot criou um projeto de ensaios fotográficos exibindo sua mancha. Crédito da Foto: Caters News Agency

Como o médico diagnostica a mancha “Vinho do Porto” no rosto?

O diagnóstico da mancha vinho do Porto é feito simplesmente pela observação da lesão, de aparência bastante típica.

Como o médico trata a mancha “Vinho do Porto” no rosto?

As manchas vinho do Porto tendem a escurecer com o passar do tempo, por isso a melhor idade para tratá-las é na primeira infância. Além do escurecimento e crescimento natural da mancha, proporcional à idade da pessoa, outra característica que reforça a importância de se tratar o quanto antes é o aspecto da pele, que pode ficar rugosa com o passar do tempo.

Psicólogos alertam ainda que é interessante buscar uma solução antes que a criança inicie a vida escolar, evitando assim que ela sofra bullying.

Essas manchas podem ser bastante minimizadas com o uso da tecnologia laser, que pode ser aplicada a partir de dois meses de idade. O desconforto causado pelo procedimento pode ser minimizado com anestesia ou sedação. Para crianças mais velhas e adultos, o uso de anestésico local é suficiente.

As manchas vinho do Porto podem ser dissimuladas por algumas técnicas tradicionais, tais como tatuagens e cosméticos que, no entanto, são de efeitos temporários. Mas atualmente há uma série de métodos cirúrgicos para remoção permanente deste tipo de mancha. Deles, a terapia com laser é, sem dúvida, o melhor e mais popular. O método dos enxertos cirúrgicos de pele consiste na substituição do local afetado por um remendo de pele saudável retirado de outra parte do corpo. A dermoabrasão (remoção da camada superior ou de camadas superiores da pele) pode ser usada em alguns casos.

Como evolui a mancha “Vinho do Porto” no rosto?

A mancha vinho do Porto aumenta de tamanho proporcionalmente ao crescimento da criança e costuma escurecer à medida que a idade avança.

 

Imagem relacionada

Imagem relacionada
 
Autor : abc.med.br
Fonte : abc.med.br










 

 

 

Desenvolvimento :